CLIQUE E OUÇA RADIO CANAL39

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

ACESSIBILIDADE, PIZZA ENROLADA E FRATERNIDADE

QUE SE DANEM OS IDOSOS, CADEIRANTES E PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS - Essa parece ser a frase preferida de um bando de comerciantes que andam copiando "os direitos adquiridos" de um aristocrata boteco instalado na praça Padre Fialho, em Pindamonhangaba. Por conta de uma lei adaptada para atender a "evolução da cidade", bares podem utilizar espaços públicos para a ampliação de sua área de atendimento. Com isso, o espaço lindeiro (definido como tal a mesma metragem frontal à metragem da fachada do comércio, mas calçada do outro lado da rua, pode ser ocupado com mesas e cadeiras. Pela lei, é exigido um "vão" de passagem para pedestres, com 1,50m de largura.
Entretanto, em muitos locais da cidade, por falta de rigorosa fiscalização de posturas, as calçadas são invadidas por mobiliário do bar. Com isso, cadeiras e demais que capitulam esse comentário são obrigados a transitar pela rua, correndo os riscos inerentes ao arriscado convívio junto aos veículos automotores ou, mesmo, bicicletas e skatistas. Sem contar as calçadas, depois da "noitada", ganharem centenas de bitucas de cigarro. Existe uma lei que trata da Acessibilidade, que precisa ser cumprida também

PIZZA ENROLADA - Sem contar o gasto, que deve ser absurdo, com a condução dos trabalhos da CEI que tratava do caso Peixoto/Acert, a vizinha Taubaté foi obrigada a engolir uma verdadeira "Pizza enrolada" com sabor de "arranjo político" e recheada e interesses pessoais. Foram 8 votos pela cassação contra 6 contra o procedimento que poderia guindar ao poder a petista Vera Saba. Como o processo demandava o placar de, pelo menos 10 votos favoráveis à cassação, Peixoto se mantém no cargo e, de contrapeso, deve garantir dona Luciana Flores Peixoto nas ações sociais do munícipio.
Se nesse mato tinha coelho, ele sumiu sem precisar de mágica. Bastou um joguinho de interesses...

FEIRA DA FRATERNIDADE - Amigos e pais da Apae promovem, ainda no próximo final de semana, mais uma Feira da Fraternidade, destinada a angariar fundo para essa incrível entidade que atende pessoas especiais.
Diversos shows foram já realizados, com artistas da cidade.
Infelizmente, no sábado, uma das bandas que se apresentou no evento teve diversos instrumentos levados por assaltantes armados os quais afanaram, até, o carro de um dos músicos. Caso seja procurado por alguém interessado em lhe vender instrumentos musicais, consulte primeiro a Polícia, para saber se não está no rol de coisas roubadas da banda.
Faltou, aí, Fraternidade.

UMA DICA - Para os organizadores da Feira da Fraternidade: é comum muitos artistas procurarem um jeitinho de se apresentarem no palco da Feira. Porém, vale atentar para a complicação que é mais de uma atração por noite, pois há todo um trabalho de preparação do sistema de sonorização, sem contar que as apresentações passam a ser muito curtas, o povo não curte e, de quebra, tem o problema da vizinhança que reclama por causa do "barulho" após as 22h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário