CLIQUE E OUÇA RADIO CANAL39

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

DIREITOS DEFENSÁVEIS PELOS VEREADORES DE PINDA


ALGUNS DIREITOS POSSÍVEIS DE SEREM DEFENDIDOS POR VEREADORES – Nessa postagem, apresento alguns itens de assuntos referentes aos direitos do cidadão comum, plenamente possíveis de serem motivos de trabalho dos senhores vereadores à nossa Câmara Municipal. Relaciono-os sem ordem definida, visto serem todos da mesma importância.

OCUPAÇÃO DE ESPAÇO PÚBLICO – Uma adaptação a uma Lei Municipal, que em seu contexto contemplava, inicialmente, assuntos referentes à área de zoonoses (inclusive com adoção de medidas para remoção de animais) possibilitou, então, a utilização de espaços públicos por estabelecimentos comerciais (leia-se “bares”). Resumidamente, essa adaptação faculta o uso de calçadas, para a colocação de mesas e cadeiras a serem utilizados pelos seus clientes. Na praça do quartel, deu certo para um boteco lá existente, que se serve da calçada em frente ao estabelecimento, no outro lado da rua, DESDE QUE DEIXE UM ESPAÇO PARA CIRCULAÇÃO DE PEDESTRES. Esse espaço é chamado, na lei, de “lindeiro”. (Será que todo mundo que usa o espaço se acha tão bonito assim, rs?)

NA CARONA DESSA LEI, diversos outros comerciantes abusam da mesma, usando todo o espaço da calçada, de uso público, para acomodar seus clientes. Com isso, a POLÍTICA DE ACESSIBILIDADE, mote de campanha institucional do prefeito João Ribeiro, vai por água abaixo, junto com o dinheiro investido nas rampas de acesso. Idosos, cadeirantes, grávidas, crianças e demais indivíduos anônimos que formam nossa população, sofrem os prejuízos da falta de fiscalização por parte da área responsável da administração pública.

PRÁTICA DE VENDA CASADA – Verifiquei essa situação nos guichês da Pássaro Marrom, em Pindamonhangaba. Adquiri uma passagem para Campos do Jordão. O atendente cobrou R$ 9,50 e me deu o bilhete de viagem com outro papel grampeado. Fui verificar do que se tratava. Era um bilhete de SEGURO FACULTATIVO (ACIDENTES PESSOAIS). Disse ao rapaz que não queria o tal seguro e o mesmo respondeu-me afirmando que eu deveria ter informado antes da emissão da passagem. Para Campos do Jordão o “seguro facultativo” estava sendo empurrado pelo preço de R$ 0,30. No vidro do guichê está pregado um aviso da ARTESP, agencia que regula os transportes terrestres. Nesse aviso consta a informação de que o seguro é FACULTATIVO. Deveria ser redigido com o texto mais acessível ao entendimento dos cidadãos mais comuns. Uma frase do tipo “SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS NÃO OBRIGATÓRIO”. E mais: seria interessante a obrigatoriedade de uma tabela de preços composta pelos elementos que formam o preço da passagem SEM O SEGURO FACULTATIVO (leia-se não obrigatório) e, depois, a informação do preço do mesmo.

ESSA TABELA DE PREÇOS seria afixada ao nível dos olhos dos usuários dos ônibus, colada no vidro do guichê, com destaque dos referidos dados não obrigatórios de serem adquiridos.

NÃO CONFERI, junto às outras empresas, se a prática de “empurrar” o seguro facultativo também acontece. Mas, merece uma análise por parte dos representantes do povo...

PANFLETAGEM OU DISTRIBUIÇÃO DE LIXO PATROCINADA? Uma enorme quantidade de panfletos publicitários corre solta, ao sabor do vento, pelas ruas da cidade. Panfletos de óticas, revendedoras de motos, de veículos, restaurantes, comércio de roupas. Sem contar a tal de Dona Helena, que faz milagres esotéricos com simpatias de amarrar corações. Ela “amarra” sua propaganda, descaradamente, em paredes, postes, muros, etc. Como dizem existir uma tal regulamentação para a distribuição de propaganda, seria interessante os nobres vereadores "irem pra cima”. Particularmente considero dinheiro jogado fora esse lance de panfletagem. Existem os que trabalham sério, na distribuição. Entretanto, há uma turminha que “arquiva tudo” nos bueiros da cidade... Deveria ser proibida definitivamente a publicidade por meio de panfletos... (Apesar dos absurdos preços cobrados pelas emissoras de rádio).

terça-feira, 18 de outubro de 2011

APELAÇÃO, INFRAESTRUTURA, TRIBUNA DO NORTE E JORNAL DA CIDADE

APELAÇÃO – O advogado de defesa de um dos médicos envolvidos no escândalo do tráfico de órgãos humanos, em Taubaté, tentava destacar a não culpa de seu cliente. Num trecho da entrevista ao bom repórter Rafael Ramos, da Metropolitana FM, o defensor disse: “O doutor Pedro é de boa família, tem formação universitária...” Como se fosse dispensável estudo superior para o exercício da medicina.

“PINDA SEDIA ENCONTRO DE CONSELHOS DE PESSOA DEFICIENTE” – Manchete do jornal Tribuna do Norte, edição 8071, de 18 de outubro. No corpo da matéria fica esclarecido se tratar de um evento regional e contando com representantes de cidades do litoral Norte. O primeiro parágrafo da notícia tem o seguinte teor: “Contando com uma grande infraestrutura voltada para as pessoas com deficiência, como rampas de acesso nas calçadas; elevadores, rampas e banheiros adaptados nos prédios públicos, e toda frota de ônibus urbanos adaptadas para cadeirantes, Pindamonhangaba será sede do encontro...” (o trecho entre aspas é reprodução fiel da redação dada à notícia). Creio ser importante destacar, nessa oportunidade, de nada adiantar essa infraestrutura, pois a fiscalização de posturas não tem suporte humano ou administrativo para fazer cumprir a observação do uso correto das calçadas e rampas por parte de alguns estabelecimentos comerciais da cidade. Muitos comerciantes proprietários de bares, principalmente, se julgam donos do espaço público e lotam as calçadas com cadeiras e mesas, atendendo seus fregueses (leia-se atendendo seus interesses comerciais) e nem se lixando para o conforto dos cidadãos comuns e especiais, supostamente amparados pela tal infraestrutura. Exemplos de abuso: “Boteco dos Amigos”, na esquina da rua Laerte Assumpção Jr com Joaquim Bello do Amorim; “Cantinho do Zé”, na praça São Francisco; “Genesis”, na rua Frederico Machado; Churrasco & Cia, rua Manoel Flores, esquina com Laerte Assumpção Jr; “Pastel da Inês”, praticamente “na cara” da Prefeitura; diversos carrinhos de lanches espalhados pela cidade. Em alguns pontos, o povão quase fica entalado, em vez de ter condições de transitar com segurança e conforto, por causa do mobiliário colocado em local indevido.

POR FALAR EM TRIBUNA DO NORTE, é notável a melhora na qualidade de impressão desse periódico local. Merece, sim, um pouco mais de cuidado na revisão de texto. Títulos, principalmente, precisam ser mais cuidados. Exemplo: uso indevido de plural no título da matéria sobre a campanha “Pense Rosa”.

POR OUTRO LADO, correm boatos de que o pessoal do nosso Jornal da Cidade está em aflita busca por um novo local para instalação de suas oficinas. Consta ter havido um pedido para entrega do atual galpão utilizado pelo JC. Oxalá seja possível conseguirem melhores local e condições de trabalho. Afinal, esse veículo não merece virar notícia triste.




segunda-feira, 17 de outubro de 2011

TROCA DE IDÉIAS, BANDA PARA BAILES, SIGNIFICAR A EXISTENCIA, CONSELHOS DE CORRÊA

DOIS AMIGOS "TROCAVAM" IDÉIAS, hoje à tarde, no saguão do Fórum da Justiça do Trabalho, em Pindamonhangaba. Papo altamente "político". Um dizia sobre a candidatura do médico Isael, que se transferiu para o PV. Em seu comentário, resumidamente, o moço dizia que "conseguiram "matar o Isael. Ele foi na conversa dos "caras" e mudou de partido pra perder a competição." O outro destacou que estava ficando fácil para o "Tio" (uma referencia velada ao veterano Vito Ardito?"). Indagado dos porques, respondeu: "O Torino precisa, ainda, ter suas contas aprovadas, do tempo de vereador. O Tribunal de contas ainda não aprovou". Continuou, ainda, dizendo que Myriam Alckmin teria dificuldades em sua candidatura, visto que - como vice-prefeita de João Ribeiro, precisaria esperar a aprovação das contas do prefeito, para poder ter sua candidatura plenamente disputável. O primeiro interlocutor assentiu com a cabeça e disse: "É, tá ficando melhor pro Tio...". Especulações à parte, alguns entraves devem existir, realmente, aos senhores pré candidatos...

A MULTIBAND SHOW, que tem sede em Pindamonhangaba e é comandada pelo músico Alan Bass, agitou a festa no casório de Ademir Junior e Juliane, no último dia 15 de outubro. A cerimonia religiosa também contou com músicos da Multiband Show. Os dois eventos aconteceram nas amplas instalações da Eventos Bela Vista, na Fazenda Bela Vista, às margens da Dutra. Os comes e bebes foram servidos pelo Buffet Saborelli. Video e foto a cargo do time do Marcos Donola (Clickmania Digital). Para contratar a Multiband Show é só ligar (12) 9131-9548 ou (12) 9772-6333.

ALGUNS DIAS, QUANDO CHOVE MUITO, vale a pena - além da pizza ou algum lanche solicitado pelo sistema "delivery" (leia-se "não tou a fim de andar muito hoje") - dar uma corujada nalguma locadora e pedir o filme "As cinco pessoas que voce encontra no céu". A obra tem base num livro, com o mesmo título, de Mitch Albom. Uma fábula capaz de nos fazer refletir sobre o verdadeiro significado de nossa existência. "As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu" conta a história de Eddie, o mecânico de um parque de diversões que morre no dia de seu aniversário de 83 anos, tentando salvar uma garotinha. Talvez muita gente consiga dar um novo significado à sua existencia...

LUIZ LOPES CORRÊA, aquele noticiarista da gravatinha borboleta que fazia o "Aqui e Agora" na televisão, deixou-me dois presentes em forma de conselho. O primeiro: "Irmãozinho, só diga aquilo em que voce acreditar". O segundo: "Para quebrar as moléculas negativas do cafezinho, pingue tres gotas de água potável". Corrêa dizia que o segundo conselho foi-lhe dado por um guru indiano... Quando me lembro, pingo as tres gotinhas de água no café. Não tenho certeza definida dos resultados, mas vindo de um mestre... Luiz Lopes Corrêa foi um dos parceiros com os quais convivi na Rádio Capital AM1040-SP.




segunda-feira, 10 de outubro de 2011

DESLIZES DE JOVENS REPÓRTERES, DICAS, PERGUNTAR OFENDE, TEMPOS DE RÁDIO CAPITAL, IEMANJÁ E TALENTOS DA MATURIDADE

DESLIZES DA INICIAÇÃO – Destaco aqui, a título de incentivo à pesquisa e mais laboratórios de redação, dois pequenos deslizes cometidos por jovens repórteres da nossa região. O primeiro: a apresentadora do jornal da TV Novo Tempo (antiga TV Setorial), anunciou matéria a respeito da obrigatoriedade do ponto eletrônico para empresas com mais de dez funcionários. Na chamada, a jovem, de nome Flávia, referiu-se à “adiação” do prazo. No Dicionário Aulete via internet, de acordo com a nova ortografia, inclusive, não existe esse termo. Para conferir: http://aulete.uol.com.br/site.php?mdl=aulete_digital. Aliás, recomendo salvarem esse site em seus favoritos. Outra "topada” de iniciante: o repórter Rafael Ramos, da excelente equipe de jornalistas da Metropolitana FM Taubaté, deu uma nota onde citava “uma jovem motoboy”. O certo seria uma moto girl... Porém, isso tudo é relevante quando se percebe o interesse em acertar.

UMA DICA LITERÁRIA, que contribui muito para o melhor esclarecimento dos jovens jornalistas. Leiam “Perguntar ofende!”. Vejam a sinopse de lançamento desse trabalho: “Neste livro, o jornalista José Nello Marques vai fundo no ataque às perguntas cretinas que povoam os noticiários. O sujeito sobreviveu a um terrível acidente, do qual nenhum outro membro da família escapou? Lá vem o repórter: "Como o senhor está se sentindo"?
Não importa a situação, sempre estão lá os repórteres para cobrir os fatos, e com eles, suas perguntas descabidas. Perguntas que ele acompanhou ao longo de seus mais de 30 anos de experiência em diversos veículos de comunicação e que, infelizmente, são tão verídicas quanto costumeiras. O livro "Perguntar Ofende!”é divertido e informativo".
ISSO ME FAZ LEMBRAR a pergunta do repórter (não iniciante) Ari Peixoto (Globo), a um treinador do Flamengo, após uma vitória “no sufoco” do rubro negro da Gávea. Peixoto brecou o treinador com uma das mãos e despejou a pergunta: “Como está seu coração, após esse resultado”. O “professor” foi objetivo na resposta; “Está batendo. Do contrário, não estaria falando contigo!”. Desceu, ato contínuo, para os vestiários...
UM AMIGO MEU, para o qual eu produzia um programa na Rádio Capital AM1040-SP, perguntou a uma jovem que o visitou, nos estúdios da emissora, e lhe ofertou uma peça de artesanato bastante colorida: “Como você escolhe as cores?”. A jovem respondeu ser a tia quem selecionava a sequencia de cores, pois não dispunha do sentido da visão. Tentando minimizar “o mico”, o comunicador rebateu: “Ah, sim. O que importa é ver com os olhos do coração!”. A artesã sorriu e arrematou: “Sem querer ser divertida, sofro de arritmia também”. Todos, no estúdio, ficaram com cara de paisagem...
“FESTA DE IEMANJÁ” EM UBATUBA – No mês de novembro acontece a seletiva regional dos trabalhos inscritos no Mapa Cultural Paulista. Minha foto “Umbanda – Festa de Iemanjá”, estará exposta na fase regional de Artes Visuais – fotografia. Veja como ficou linda essa imagem captada a uma distancia de 50m mais ou menos.

TAMBÉM PARTICIPO DOS TALENTOS DA MATURIDADE, com uma foto e um conto. Quem desejar, pode votar nos meus trabalhos acessando o site http://www.talentosdamaturidade.com.br/ e buscando: Prostração, na modalidade foto, e "Mariana queria sonhar com fadas", na modalidade conto.
Peço licença para exibir, aqui, a foto participante do certame: