CLIQUE E OUÇA RADIO CANAL39

sábado, 30 de março de 2013

AFUNDANDO O PÉ NA JACA...


Parece piada!
Bom seria se assim o fosse.
Entretanto, a cada evento que não se sucede, pelo simples fato de ser cancelado, a nossa octogenária Ferroviária fica com o nome complicado diante da opinião pública.
Do último show cancelado (Paula Fernandes) nasceu uma NOTA DE ESCLARECIMENTO para possibilitar uma saidinha à francesa...

Vejam:
“Visando a segurança do público a Jeito de Mato Produções Artísticas Ltda., empresa responsável pela carreira de Paula Fernandes, em comum acordo com a produtora local CRT PRODUÇÕES DE EVENTOS informam que, o show agendado para a cantora em Pindamonhangaba/SP, 13 de abril no Ginásio da Ferroviária, foi cancelado em virtude da capacidade de lotação. Após avaliação técnica foi constatado que o local não comportaria o público esperado. Para quem adquiriu ingresso, gostaríamos de informar que a CRT PRODUÇÕES estará no dia 15/04/2013 disponibilizando de um funcionário junto ao clube da ferroviária para fazer o reembolso dos ingressos.
As informações poderão ser tiradas no telefone: (12) 8703-8539.
A CRT PRODUÇÕES estará contratando um local mais adequado para fazer o show numa data em comum acordo com a produção JEITO de MATO para que este mega show aconteça na cidade de Pindamonhangaba para uma maior comodidade e conforto para o público esperado.
* Maiores informações: silviacolmenero@textosmaisideias.com.br
Certos da compreensão de todos,
Jeito de Mato Produções Artísticas Ltda.” (íntegra do texto publicado no jornal Tribuna do Norte)

Para quem não conhece o local, pode parecer satisfatória a esfarrapada desculpa.
Porém, da parte do clube, não foi exercido o “direito de resposta”.
Quem fez a avaliação técnica é habilitado a isso?
O produtor local não pensou na capacidade de lotação, antes de fazer o maior auê dizendo que aconteceria o show?
Os responsáveis pelo clube não têm base de cálculo para estabelecer a viabilidade do evento?
Fórmulas simples poderiam evitar toda essa balburdia e o nome do clube, mais uma vez, comprometido.
Área destinada ao público dividida pelo nº de pessoas por m2 = capacidade de lotação.
Capacidade de lotação x preço do ingresso = renda bruta
Renda bruta – encargos (produção local + publicidade e propaganda + segurança + ECAD + ISS + lucro do produtor) = Cachê da cantora.
Definitivamente esses detalhes não foram AVALIADOS E REPENSADOS antes de se colocar tinta sobre o papel para firmarem qualquer tipo de contrato.
Daí, esfarrapadamente, a Jeito de Mato, agência de Paula Fernandes, alega zelar pela segurança do público acenando, com isso, possíveis situações de risco existentes no local físico do show.
“Me ajuda aí, ô!”, como diria o Zé Luiz Datena...
Será que o clube aceita essa alegação como forma de botar panos quentes em mais um fracasso?
Aos olhos do público, a Ferroviária passa por situação de desestruturação em seus equipamentos, se levarmos a fundo a informação publicada.
Para esclarecer aos “desesclarecidos”: o ginásio da Ferroviária já comportou públicos excelentes para Sorriso Maroto, Jorge Aragão, Terra Samba, Revelação, dentre muitos outros. Nem por isso houve risco ou comprometimento da segurança.
A aberração da justificativa força, mais uma vez, com que a administração da Ferroviária enterre o pé na jaca ao acatar, sem nenhum tipo de manifestação mais plausível, o que o produtor local, CRT Promoções e a Jeito de Mato definiram como “desculpinha”.
Final de mandato, corrida para as eleições, mudanças à vista?
Qualquer que seja o resultado, é urgente tirar a Ferroviária da já quase UTI...
Para não chegarmos ao extremo de vê-la, agonizante, ser conduzida à eutanásia.

terça-feira, 26 de março de 2013

Descomplicando a arte


Às vezes procuramos definição para as coisas mais simples e nos embrulhamos por completo no que dizer para explicar o totalmente explicável.
Simplicidade é próprio da pureza de percepções e sentimentos.
Por isso, aprendemos a entender e apreciar Mariene de Castro que, por ser simples, como as pessoas descomplicadas, nos emociona pela sonoridade da voz, pela autoridade de sua presença no palco.
Dona de talento invejável, totalmente a ela pertencente pela individualidade dos dons a ela oferecidos pelo Criador, nos mostra a beleza da música brasileira em toda sua plenitude, principalmente o samba.
Agora, já dona de consagrada carreira, Mariene começa a pegar estrada com o show dedicado à mineira Clara Nunes. “Um ser de luz” já é realidade, para homenagear deslumbrantemente a saudosa cantora mineira.
Descomplicando, vejam o vídeo release preparado para a promoção do evento. É só clicar abaixo.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Síndrome do Cancelamento (ou, por quê atirar nos próprios pés?)


Relógio atrasado não adianta, já dizia o sertanejo Anacleto Rosas Jr.
Correr na frente da boiada, é arriscado, dizem os peões experimentados.
Chutar contra o próprio gol é jogar contra as probabilidades de defesa, contra o patrimônio.
Mais uma vez, infelizmente, a notícia que todos não queriam esperar, mas tinham um certo conformismo já preparado se viesse acontecer mais um cancelamento de show programado para a Ferroviária de Pinda.
Não sei quantos ingressos foram vendidos antecipadamente para o show de Paula Fernandes.
Só sei que o envolvimento do nome do clube, como sede do evento citado, mais uma vez soou como tiro pela culatra.
De verdade, ou suponho assim, o clube não teria “nadaver, tio” com o lance de contratação e pagamento da atração. Apenas teria locado o espaço, o que permitia ao locatário a cobrança de ingresso até dos associados.
Resultado:







 Como tudo, no cenário do show business gira em torno de cifras, cacau, grana, money, dinheiro, o cancelamento ocorrido não afetou, em nada, a agenda de Paula Fernandes, o que pode ser observado na atual informação do seu site oficial.

Co-co-ri-có, Teatro Mágico, em duas oportunidades, já acenavam para um terceiro tropeço de produção, sem focar responsabilidades diretas, mas envolvendo  o mesmo clube.
Isso, trocando em miúdos, soa mal diante da opinião dos cidadãos comuns. Simplesmente porque quem deseja ver um show não quer saber de detalhes de contratante, quem paga e quem não paga. O que interessa é ver o show e pronto. Na Ferroviária, neste caso, seria o ideal.
Entretanto, o ideal deixa de ser ideal por conta desses fracassos promocionais.
FOCO é tudo. Sem FOCO, é FOGO!
Daí, queimação de cara.
Não resolve muito a publicação de NOTA DE ESCLARECIMENTO.
Necessário se faz REPOSICIONAMENTO, REPENSAR O CLUBE, RETOMAR O EIXO ou ENCONTRAR UM NORTE FORTE.
Contratação de especialistas em promover, pelo clube e para o próprio clube, eventos capazes de atender o bom gosto do público sem favorecer ganhos aparentemente  absurdos de terceiros.
No caso em tela, direta ou indiretamente, a Ferroviária mais uma vez se vê nas redes sociais e na mídia como cooptante em uma promoção fracassada.
Vêm aí, daqui a pouco, as eleições no clube.
Será que algum candidato cogitado teria um “ÁS” a mais na manga capaz de mudar o rumo da história e resgatar a história da Ferrô?
Claro fica: “pió do qui tá num pode ficá!”, como diz o caipira quando vê a terra seca, trincando por falta d’água... Daí ele reza “pra chuvê na horta, pra boiada num caí morta”.
Nossa torcida para que o clube vire a página e recomponha sua história de sucesso, acabando com a Síndrome do Cancelamento.

domingo, 17 de março de 2013

DE POESIA BRILHOU O DIA

Sábado, 16, houve celebração pelo Dia da Poesia, que no calendário aconteceu em 14 de março.
A reportagem do Canal39 (não se assuste, o numeral é grudadinho mesmo!) documentou alguns lances e nós reproduzimos aqui a matéria publicada.

É SÓ CLICAR E VIAJAR NA POESIA!

sexta-feira, 8 de março de 2013

LENDO OS DOIS LADOS DE UM QUASE EVENTO


Lado de lá:

"Nota de Cancelamento – Show de Pindamonhangaba

Prezados, informamos que devido a falta de pagamento do cachê mínimo na data previamente acordada via contrato pela produção local. Foi inviabilizado o show de Pindamonhangaba para esse momento.
Pedimos para as pessoas que já compraram os seus ingressos, que entrem em contato com a produção local ou com o Clube Ferroviários nos telefones (12) 7811-1827 e 2126 – 4444
Obrigado".

(Nota no site oficial de O Teatro Mágico)

Lado de cá:

"O Teatro Mágico cancela apresentação


A Diretoria da Ferroviária recebeu nesta semana por email a comunicação da produção do Teatro Mágico informando que não realizará a apresentação no dia 9 de março. Ao tomar conhecimento do fato, o presidente do clube, José Celso Pupio, manifestou sua indignação com o ocorrido: “A Ferroviária não é responsável pela contratação e tampouco a realização do "cancelado" show do Teatro Mágico, porém quero que fiquem sabendo que o clube foi alugado por um empresário, e, mesmo assim estamos indignados com a falta de compromisso "desse" grupo de "artistas" que mesmo enviando para o clube um comunicado oficial que o show cancelado seria adiado e realizado no dia 09 de Março, não assumiram a responsabilidade e não cumpriram o que prometeram”.
Em 15 de fevereiro, a direção do grupo, através da sra Giovanna Koga, RG: 7.820.464-8 enviou mensagem informando: "Senhor Presidente José Celso Pupio, tendo em vista o ocorrido em fevereiro, referente ao cancelamento da apresentação de nosso grupo no Ginásio da Associação Atlética Ferroviária, pelos motivos já expostos e divulgado em nosso site oficial, vimos informar que já firmamos novo contrato com o sr. Wagner de Abreu Magno, para nova apresentação em 09 de março de 2013, às 20h30 e que, sendo assim, está confirmada a presença do espetáculo em Pindamonhangaba, conforme o Contrato de Prestação de Serviços Artísticos”.
Na opinião do Presidente do Clube, o grupo faltou com respeito ao público especialmente àqueles que adquiriram ingresso. “Estão alegando que o empresário não efetuou o pagamento do valor de contrato. Pois, como podem divulgar no seu site oficial a realização antes de receber o pagamento? Parece-me uma desorganização total, e, com muita falta de responsabilidade. Por tudo queremos expressar mais uma vez nossa indignação com esse grupo, que não conhecia, e tive a melhor impressão quando no ano passado assisti a apresentação na Festa da APAE em Pinda. Podem acreditar que se não houver uma recompensa por essa ocorrência, se depender de nós, eles nunca mais virão aqui, pois isso não é próprio de pessoas responsáveis, pois estas sim assumem o risco do negócio, ao contrário do que aconteceu. Celso Pupio Presidente e Marcos Santos Vice Presidente”"
(Publicado no site oficial da A.A. Ferroviária)

Antes, no site oficial do clube, um anúncio:
"A empresa WM Eventos e a Produção Artística de “O Teatro Mágico” confirmou em documento oficial encaminhado à Diretoria do Clube a realização da apresentação para o próximo dia 9 de março, a partir das 19h. Inicialmente, a apresentação estava programada para o dia 2 de fevereiro, porém foi cancelada pela própria produção do espetáculo e empresa promotora do evento, conforme informação oficial no site do Teatro Mágico.


POIS BEM, o que pode ser apurado disso tudo:
01) A Ferroviária, por meio da nota assinada pela Diretoria, alega desorganização na estrutura do grupo Teatro Mágico, visto este ter postado em seu site oficial a data agendada para apresentação em Pinda sem ter recebido nenhum pagamento. Ora, prática comum - e ferramenta de marketing - é a atração contratada postar e atualizar sua agenda. Do contrário, como os admiradores ficariam sabendo da "estrada" dos artistas?
02) Se a Diretoria do clube alega tal fato, considerando isso desorganização, por quê anunciou o evento em seu site, sem ter a garantia de pagamento mínimo efetuado, o qual deveria "justificar" a publicidade da agenda?
03) Preciso é, também, atentarmos para o preço dos ingressos, conforme anunciado no site da Ferroviária: "Ingressos
Os ingressos retornaram a venda na Tesouraria da Ferroviária. Com o término do primeiro lote os valores do ingresso passaram para: R$ 30,00 (estudante – obrigatória apresentação carteirinha), R$ 35,00 (valor promocional para quem levar 1 kg de alimento) e R$ 60,00 (ingresso inteiro). Informações com Wagner Magno 7811-1827".
Na atual conjuntura, considerando-se uma família de 4 pessoas, 2 adultos e duas crianças, o mínimo de investimento para assistirem ao show seria de R$ 130, caso as duas crianças fossem estudantes e os adultos contribuíssem com 1kg de alimento cada um. Com o ingresso inteiro, favor acrescentar mais R$ 50 ao cálculo, totalizando R$ 180. Quase 25% do valor do salário mínimo no Estado de São Paulo.
04) Considerando que estamos em período de Páscoa, (haja dinheiro!), saídos do período de Carnaval (mais um pouquinho de dinheiro) e com muita gente correndo para saldar os débitos de final de ano (nossa, mais dinheiro!), fatalmente o evento seria abortado. Simplesmente porque os envolvidos apostaram na bilheteria e não em um orçamento prévio, garantido com dinheiro reservado.
05) Lamentavelmente, esse cancelamento já foi precedido de outros, o que predispõe a opinião pública a se tornar incrédula quanto ao sucesso de outros eventos.
Há muito recomendamos, em críticas anteriores, a  contratação de uma empresa de consultoria especializada em Marketing de Eventos. Por mais bem intencionados que estejam, os atuais diretores do clube têm suas atividades profissionais externas, as quais precisam ser contempladas com prioridade.
A Ferroviária, em toda sua história, tem muitas histórias para contar. Dentre elas, a constante evolução, o ininterrupto crescimento físico e conceitual.
Entretanto, já passou da hora de correr riscos.
Planejar eventos demanda, prioritariamente, conhecimento profundo do perfil de público a ser atingido.
Acima disso, é preciso promover o resgate dos admiradores da Ferroviária, não só se firmando a organização dos eventos no potencial do quadro associativo. Simplesmente por este não representar o foco único dos grandes eventos.
06) Por outro lado, a simples terceirização de eventos não promove a tranquilidade de quem administra a associação. Pelo menos deveria não tranquilizar. A produção própria AINDA É O MELHOR NEGÓCIO, não desconsiderando a criatividade e a honestidade do brother Waguinho Magno, responsável pelo show em tela.
07) Detalhe importante: planejamento de mídia não pode ser visto como despesa. Se isso acontecer, meio caminho andado é para o fracasso. Digo isso de cicatrizes próprias.
08) Com a aproximação das eleições e do aniversário do clube, interessante seria puxar o freio de mão, repensar o agora, sair da página dois e começar a escrever uma belíssima página 3 na história dessa velhota simpática e querida de todos nós. Afinal, as diferenças pessoais precisam ser bem menores do que o desejo de acertos.
09) Não estabeleço, com esse comentário anterior, posição de apoio a nenhuma das supostas chapas candidatas à diretoria do clube. Acredito na possibilidade de melhoras, evitando-se eutanásia administrativa para o Clube da Cidade.