CLIQUE E OUÇA RADIO CANAL39

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

ACESSIBILIDADE, LOBATO E O TREM, CARLINHOS CASÉ E VIOLÊNCIA

FACILITANTO A VIDA - Está disponível, na página do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - empresa pública de Tecnologia da Informação- um programa baseado em software livre que permite a pessoas cegas, ou com baixa visão, terem acesso ao conteúdo exibido na tela do computador. O aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente, é dirigido a instituições que atendem esse público e já é usado em centenas de telecentros em todo o País. 
Chamado de Liane TTS (sigla em inglês para text-to-speech), a ferramenta transforma texto em áudio. Ela analisa as palavras morfologicamente e converte caracteres, abreviaturas e exceções fonéticas. 
Para baixar o Liane TTS, acesse aqui.

O DEPUTADO PADRE AFONSO LOBATO, cujo sobrenome lembra célebre literato taubateano, comentou recentemente numa entrevista ao programa Radar Noticioso, apresentado pelo jornalista e vereador Alexandre Vilela (Radio Metropolitana FM), ser mais interessante e prático o funcionamento de um serviço de trens ligando as cidades do Vale do Paraíba, em vez do TAV – Trem de Alta Velocidade. “O TAV é um sonho, enquanto um trem ligando as cidades valeparaibanas viria atender às necessidades de melhor transporte, a um custo mais acessível e com redução de tempo de viagem” destacou o político. Parece que, pelo menos neste caso, surgiu um político com mais sensibilidade e visão das reais expectativas da população. Mesmo porque, o TAV – se concretizado – demandaria alguns anos para sua efetiva atuação, enquanto os trens “de carreira” só precisariam de uma revisão nas atuais vias férreas e a programação de horários, além de reformas em vagões talvez ainda existentes em gares das ferrovias. Em qualquer país da Europa o trem é elemento de integração, como, por exemplo, o TEE – Trans European Express, tema – inclusive, de uma música do grupo tecno alemão Kraftwerke.

TÉCNICA DO SUBTEXTO, recurso utilizado por especialistas em comunicação para “dizer uma coisa falando outra” tem sido utilizada por muitos políticos, na atualidade. Recentemente “pesquei” uma frase do prefeito João Ribeiro. “Moreira César tem realizado muitas coisas boas”. Fala do alcaide para algumas pessoas da imprensa, durante a inauguração da Hortalimento. Ao lado do chefe do Executivo estava Carlinhos Casé (PT), subprefeito de Moreira César. Ribeiro tem sido fotografado constantemente ao lado do mesmo político petista. Com a aproximação das eleições, de repente começa a se formar um novo panorama para a sucessão do cargo maior da cidade. Mesmo porque há a possibilidade de o PT lançar candidatura própria para prefeito. Casé seria o virtual candidato do partido, ocupando o “primeiro lugar na fila da política”?

VIOLÊNCIA ABSURDA, que promove a sensação de insegurança à flor da pele, assola a região do Vale do Paraíba. Os bandidos não têm mais hora para trabalhar. Atacam, descaradamente, em qualquer minuto das 24 horas de cada dia. Enquanto isso, nas esferas do poder, autoridades já devem ter programado o envio de “reforços” (leia-se segurança pessoal), para as cidades turísticas que costumam concentram grande número de ricos e políticos em férias de final de ano. Aos moldes do que acontece quando se dá a temporada de inverno em Campos do Jordão, quando muita gente “de posse” se diverte nos ricos estabelecimentos do topo da montanha sob os olhos, ouvidos e até demais sentidos de policiais civis e militares escalados para o trabalho de guarda-costas. Passado o tempo de férias dos ricos, pobres dos cidadãos comuns...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

RONDON, JORNAIS IMPRESSOS, PSICOGRAFIA, LOMBADAS, ECOLOGIA, MAIS DINHEIRO JOGADO FORA...

PROJETO RONDON COM INSCRIÇÕES ABERTAS – Instituições de ensino superior que desejarem conquistar habilitação para participar da próxima etapa do Projeto Rondon, programado para acontecer em 23 municípios do Estado do Maranhão, entre 20 de janeiro e 06 de fevereiro de 2012, podem obter informações detalhadas neste endereço: aqui

UM DOS MAIS ANTIGOS JORNAIS DO INTERIOR, e o mais antigo da cidade, a Tribuna do Norte tinha prelo contratado junto às oficinas do Jornal da Cidade. Numa nova licitação, mudou de cidade, mas continua sendo impresso em oficinas do Jornal da Cidade, mas de Rio Claro. Será que a diferença de preços era muito grande, para menor, fazendo com que a gráfica de lá ganhasse da gráfica de cá? E anteriormente, ninguém se habilitou a fazer preço menor? O frete, para buscar as edições impressas, também compensa?

OFICINA PSICOGRAFADA – Uma nota, ilustrada com foto, comentou a apresentação do baterista Alexandre Cunha em Pindamonhangaba. A jornalista que assina a discreta matéria praticamente “psicografou” a “levada musical” de Cunha, pois somente o fotógrafo que presta serviços ao jornal esteve presente ao espetáculo de musical instrumental. Detalhe: a cantora citada na matéria não se apresentou em nossa cidade...

LOMBADAS “EX-LETRÔNICAS” – é o título que se pode dar aos restos mortais dos equipamentos recentemente desinstalados nas principais vias da cidade, em locais de visível risco de acidentes entre veículos automotores e pedestres. De resto, apenas uma pintura no leito carroçável e uma fria placa determinando o limite de velocidade para 50 km/h, pelo menos na Avenida Nossa Senhora do Bom Sucesso, próximo ao Posto BR.

DESAFIO “ECOILÓGICO” – A ação para motivação à preservação ambiental amparada pela Prefeitura Municipal e brilhantemente realizada pelo idealista Maurício Cortez só teve um detalhe negativo: os flyers (voadores, em português) distribuídos para divulgação do 6º Desafio Ecológico, voaram – em sua maioria, para dentro dos bueiros dos bairros adjacentes à Escola Dr. João Pedro Cardoso. Aliás, a distribuição de flyers, panfletos, folhetos, etc., tem sido desordenada e resulta em total pouco caso com o dinheiro investido em sua produção e distribuição.

EMPRESAS DE DESTAQUE, como Vita Fiat, Ativ Ford, Gold Finger; supermercados Paratodos, Semar, Dia e Excelsior, por exemplo, precisam repensar seus investimentos em mídia impressa, auditando a distribuição. É muito papel (leia-se R$) jogado fora, na maioria das vezes, visto o sistema de distribuição ser notadamente falho. Os distribuidores “enfiam” o material impresso em qualquer buraquinho de muro, cerca, grade, caixa de correspondência. Uma leve brisa pode jogar tudo no chão, provocando o entupimento dos bueiros e a perda do foco da ação publicitária.

ALCKMIN LIBERA SANITÁRIOS DE RODOVIÁRIAS – Já não era sem tempo. A partir de agora, qualquer cidadão tem o direito de usar os sanitários de qualquer estação rodoviária do Estado de São Paulo gratuitamente. Afinal, a famigerada taxa de embarque precisa ser mais do que uma fonte a mais de renda para as administradoras de terminais rodoviários. A lei, assinada pelo governador nosso conterrâneo (o sou por adoção) contempla, ainda, a necessidade de o cidadão ter o direito de fazer suas necessidades em local limpo e asseado. Desejos de que isso seja constante realidade.

ESPECULAÇÕES – Dias atrás, quando a mídia especializada em política começou a “cutucar” Paulo Skaf a respeito de suas possíveis intenções para as próximas eleições, o empresário destacou: “É cedo para qualquer decisão. Até quando tudo ficar às claras, nada passa de meras especulações”. Então, trocando em miúdos, quem disser que tem o apoio de Skaf, pode ter que se “skafeder” mais tarde...

SEM O DEDO DO VITÃO – Fábio Garufe, diretor do novo jornal lançado na cidade, Jornal Pindense, garante não ter “nadaver” com o político Vito Ardito. Apesar disso, destaca pesquisa realizada na cidade na qual Vitão está em primeiro lugar como nome mais lembrado. Meses atrás uma conhecida escola de informática, estabelecida no Largo do Cruzeiro pesquisava a opinião pública a respeito de diversos assuntos, inclusive os nomes mais lembrados na política local. Saúde e vida longa ao novo periódico.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

ALEXANDRE CUNHA, BANDA E ARTHUR MAIA PRESENTEIAM PÚBLICO COM REPERTÓRIO INSTRUMENTAL

MENOS DE 40 PESSOAS – Público presente à Oficina de Música (leia-se SHOW) proporcionada por Alexandre Cunha e Banda com a participação especial de Arthur Maia. O auditório da Cootepi comporta, segundo informação oficial, 300 espectadores. Cunha comentou, com positivismo, a quantidade de pessoas: “Importa a qualidade”...

POUCO CASO OU ESQUECIMENTO? – Nenhum representante das autoridades constituídas da cidade, muito menos da empresa patrocinadora, a Gerdau, fez-se presente à oficina de Alexandre Cunha. O baterista, juntamente com o baixista Arthur Maia, compõe o elenco de grandes expressões internacionais da nossa música instrumental. Lamentável, pois os caras são sempre bem recepcionados, por autoridades, em sua trajetória artística. Afinal, não é todo dia que nossa cidade pode se dar ao luxo de ouvir música de muito boa qualidade, executada por artistas internacionais.

UM DOS ASSISTENTES DE PRODUÇÃO queria saber, antes do início da Oficina de Música, se havia alguém dos patrocinadores, dos organizadores, do Departamento de Cultura ou o dono da idéia que deu origem ao evento de domingo passado (11/09) na Cootepi. Conseguimos localizar a jovem que estavam na bilheteria entregando as cortesias (o evento era gratuito). Essa jovem indicou o Sr. Ricardo, responsável pelo teatro. Além dele, pelo Departamento de Cultura, apenas uma funcionária estava escalada para o local. Por ser um evento CULTURAL, merecia a presença da Diretora de Cultura. Esquecimento ou pouco caso?

A IMPRENSA NÃO COBRIU DA FORMA MERECIDA – Apenas o fotógrafo Akin, que captura imagens para o Pindavale/Agoravale e, simultaneamente, para a Tribuna do Norte, esteve presente. Vale News, Portal R3, Vale Flash e demais veículos da imprensa local não documentaram o evento.
Perderam a grande chance de obter ótimos clipes musicais para seus veículos. Como contam, alguns deles, com o apoio da municipalidade (via agência Página), poderiam ser solicitados a cobrir. Mas, mesmo o pessoal da Comunicação da Prefeitura não deu as caras...

NEM MESMO UMA MOSCA se fez ouvir no tetro, durante o espetáculo de Alexandre Cunha, Arthur Maia e banda. Os músicos fizeram questão de destacar da audiência fiel e educada dos presentes. “Esse comportamento do público é que nos dá muita alegria”, destacou Alexandre. Em alguns momentos houve total interação, quando os músicos incentivavam para que os presentes fizessem acompanhamento das músicas batendo palmas.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

À FRANCESA, DIFERENÇAS, EXEMPLO, ORTOGRAFIA, REI ARTHUR E TESTE DRIVE

À FRANCESA – O prefeito João Ribeiro e dona Angélica, primeira dama, compareceram ao desfile cívico em comemoração à proclamação da Independência do Brasil. Durante o tempo todo o chefe do Executivo limitava-se a trocar algumas palavras com as demais autoridades e acompanhantes, no palanque oficial. (Enquanto o resto do povo se debruçava sobre as grades à margem da avenida, sem nenhuma “cobertura” especial). Foi possível observar a ação da responsável pelo cerimonial da prefeitura municipal, minutos antes do final do desfile. Acenou para um agente de transito e o mesmo se postou próximo ao local onde estava o veículo oficial de João Ribeiro. Quando teve início o desfile das viaturas militares, Ribeiro discretamente se despediu dos demais convidados e “se mandou” do local do desfile. Neste ato foi antecedido por Ricardo Piorino, presidente da Edilidade local, que deixou o palanque a pé, caminhando alguns metros até seu carro. No palanque, fazendo as honras, ficou a vice-prefeita Myriam Alckmin...

FARIA DIFERENÇA? – Não visualizamos nenhum outro vereador no palanque das autoridades. Alexandre Faria desfilou com a escolinha de futebol do Corinthians (Projeto Crescer), em despojado traje de camiseta e calças jeans. Dizem que Faria nem se preocupou em olhar para o palanque...

EXEMPLO – Em qualquer parte do mundo, um desfile militar atrai as atenções. Pela ordem, disciplina, senso de responsabilidade e comprometimento. Num dos exercícios preparados para serem demonstrados ao público, durante o desfile de 7 de setembro, os soldados desembarcariam de uma viatura em movimento e se perfilariam para exercício de ordem unida sem comando. Um dos componentes do grupo, ao saltar do caminhão, desequilibrou-se e caiu de mau jeito. Não largou a arma e muito menos se desconcentrou da missão em execução. Postou-se junto aos demais e realizou a tarefa. Muitos daqueles que estavam no palanque oficial se desorganizam emocionalmente por muito menos...

NOVA ORTOGRAFIA – Uma das placas ostentadas por alunos da rede municipal, durante desfile cívico realizado em Moreira César:

Estranhei a grafia e pesquisei. Segundo o Novo Acordo Ortográfico, a grafia correta é ALTRUÍSMO.
(Vide http://www.estudamos.com.br/ortografia/altruismo.php)
Faltou revisão ou teriam utilizado alguma regra diferenciada para grafar a palavra?
Durante o mesmo desfile, um deslize de grafia ou de confecção: na faixa abaixo, a palavra PARTICIPE ficou sem uma letra.


Será que havia, nesse desfile, o joguinho dos sete erros?

TESTE “DRIVE” FALHO – Recebi um panfleto anunciando serviços de marmitex de uma casa comercial, no Ouro Verde, chamada “1, 2 Feijão com Arroz”. Liguei para lá, nesta sexta-feira, solicitando um marmitex com bife à parmegiana. O atendente anotou todos os dados. Imediatamente após fui informado de que não poderiam fazer a entrega. Solicitei que preparassem a “quentinha” que eu mesmo iria buscar. Fui informado de que eu poderia ir buscar, mas não sabiam informar quando a comida estaria pronta. Trocando em miúdos: propaganda pouco dimensionada para a capacidade de atendimento.

REI ARTHUR NA COOTEPI – O exímio baixista Arthur Maia, junto com o excelente batera Alexandre Cunha, realiza oficina musical no Teatro Cootepi, em Pindamonhangaba, no próximo domingo, dia 11 de setembro. Entrada franca, numa promoção do Departamento de Cultura da cidade. Provavelmente muitos músicos devem comparecer para assistir ao work shop do Rei Arthur Maia, que já tocou com celebridades como Gilberto Gil e Lulu Santos. Alexandre Cunha, também muito solicitado pelos feras da MPB, já fez turnê por diversos países, a exemplo de Maia.