CLIQUE E OUÇA RADIO CANAL39

terça-feira, 18 de outubro de 2011

APELAÇÃO, INFRAESTRUTURA, TRIBUNA DO NORTE E JORNAL DA CIDADE

APELAÇÃO – O advogado de defesa de um dos médicos envolvidos no escândalo do tráfico de órgãos humanos, em Taubaté, tentava destacar a não culpa de seu cliente. Num trecho da entrevista ao bom repórter Rafael Ramos, da Metropolitana FM, o defensor disse: “O doutor Pedro é de boa família, tem formação universitária...” Como se fosse dispensável estudo superior para o exercício da medicina.

“PINDA SEDIA ENCONTRO DE CONSELHOS DE PESSOA DEFICIENTE” – Manchete do jornal Tribuna do Norte, edição 8071, de 18 de outubro. No corpo da matéria fica esclarecido se tratar de um evento regional e contando com representantes de cidades do litoral Norte. O primeiro parágrafo da notícia tem o seguinte teor: “Contando com uma grande infraestrutura voltada para as pessoas com deficiência, como rampas de acesso nas calçadas; elevadores, rampas e banheiros adaptados nos prédios públicos, e toda frota de ônibus urbanos adaptadas para cadeirantes, Pindamonhangaba será sede do encontro...” (o trecho entre aspas é reprodução fiel da redação dada à notícia). Creio ser importante destacar, nessa oportunidade, de nada adiantar essa infraestrutura, pois a fiscalização de posturas não tem suporte humano ou administrativo para fazer cumprir a observação do uso correto das calçadas e rampas por parte de alguns estabelecimentos comerciais da cidade. Muitos comerciantes proprietários de bares, principalmente, se julgam donos do espaço público e lotam as calçadas com cadeiras e mesas, atendendo seus fregueses (leia-se atendendo seus interesses comerciais) e nem se lixando para o conforto dos cidadãos comuns e especiais, supostamente amparados pela tal infraestrutura. Exemplos de abuso: “Boteco dos Amigos”, na esquina da rua Laerte Assumpção Jr com Joaquim Bello do Amorim; “Cantinho do Zé”, na praça São Francisco; “Genesis”, na rua Frederico Machado; Churrasco & Cia, rua Manoel Flores, esquina com Laerte Assumpção Jr; “Pastel da Inês”, praticamente “na cara” da Prefeitura; diversos carrinhos de lanches espalhados pela cidade. Em alguns pontos, o povão quase fica entalado, em vez de ter condições de transitar com segurança e conforto, por causa do mobiliário colocado em local indevido.

POR FALAR EM TRIBUNA DO NORTE, é notável a melhora na qualidade de impressão desse periódico local. Merece, sim, um pouco mais de cuidado na revisão de texto. Títulos, principalmente, precisam ser mais cuidados. Exemplo: uso indevido de plural no título da matéria sobre a campanha “Pense Rosa”.

POR OUTRO LADO, correm boatos de que o pessoal do nosso Jornal da Cidade está em aflita busca por um novo local para instalação de suas oficinas. Consta ter havido um pedido para entrega do atual galpão utilizado pelo JC. Oxalá seja possível conseguirem melhores local e condições de trabalho. Afinal, esse veículo não merece virar notícia triste.




Nenhum comentário:

Postar um comentário